Energia eólica no Brasil bate recordes e gera empregos

August 2, 2021

    Wind farm Brazil

    Source: JFDIORIO/Shutterstock

    Os bons ventos estão soprando forte no nordeste brasileiro e o setor já acumula recordes de geração de energia. Isso tem ajudado a amenizar as consequências da crise hídrica enfrentada atualmente no país — devido à estiagem das chuvas —, e também a estimular a recuperação econômica gerando empregos.

    O Brasil ocupa o sétimo lugar no ranking mundial da Global Wind Energy Council (GWEC) com 19GW de capacidade instalada. Para se ter uma ideia do crescimento, o setor contava com menos de 1GW instalado no país há uma década e atualmente é a segunda maior fonte de energia do país, respondendo por 10% da matriz elétrica.

    De acordo com a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), a expectativa é que até 2024 o Brasil tenha pelo menos 30GW de capacidade instalada de energia eólica, considerando apenas leilões já realizados e contratos firmados. Novos leilões vão adicionar mais capacidade instalada para os próximos anos.

    capacidade instalada_PT

    Figure 1: Evolução da Capacidade Instalada em MW de 2005 a 2024. Os dados futuros apresentados no gráfico acima referem-se a contratos viabilizados em leilões já realizados e no mercado livre. Fonte: Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) and ABEEólica.


    Nordeste tem 80% dos parques eólicos brasileiros

    Com a falta das chuvas, os níveis dos reservatórios ficam baixos, e o acionamento das termoelétricas é necessário, o que aumenta ainda mais o preço da energia.

    Por isso, especialistas afirmam que diversificar a matriz brasileira é fundamental já que o país é abundante em recursos naturais e possui grande potencial.

    A boa qualidade dos ventos brasileiros para produção de energia eólica se destaca na comparação global. O Brasil tem um fator de capacidade (dado que mede a produtividade dos ventos) acima da média, como podem ver abaixo.

    Qualidade do vento_PT

    O Nordeste é responsável por 80% dos parques eólicos brasileiro. Isso porque a região conta com ventos mais constantes, com uma velocidade estável e que não mudam de direção com frequência.

    O estado do Rio Grande do Norte é o maior produtor de energia eólica do país, e a capacidade instalada deve crescer nos próximos meses. O vento é mais intenso de junho a dezembro, coincidindo com os meses de menor intensidade de chuvas.

    Hoje, a região consome pouco mais de 1GW de energia, enquanto capacidade de produção eólica ultrapassa 5GW. Assim, o estado está contribuido para todo o sistema nacional.

    O secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte, Jaime Calado, disse:

    Vai ser um recorde de investimento. Ano passado foram cerca de R$ 7 bilhões e este ano vai passar dos R$ 12 bilhões.


    O grande potencial da matriz energética e elétrica brasileira

    De acordo com o governo, as energias limpas e renováveis respondem por 48% do fornecimento total de energia primária do Brasil, enquanto a média mundial é de 14%.

    As fontes eólicas, solar, hídrica e biomassa respondem por 85% da matriz elétrica, um nível quase sem equivalência no mundo. Apesar disso, os brasileiros sentem no bolso o alto custo das tarifas.
    .

    Matriz elétrica PT

    Figure 2: Matriz elétrica brasileira atualizada em 15 de junho de 2021. Fonte: ANEEL/ABEEólica


    A energia elétrica é cara no Brasil?

    Segundo um estudo da Global Petrol Prices, realizado em 2019, a energia no Brasil é a 37ª mais cara do mundo, em um ranking com 110 países. O custo é de US$ 0,18 por Kwh. Bélgica, Dinamarca, Alemanha e Bermudas possuem as tarifas mais altas, com mais de US$ 0,30 por Kwh.

    Birmânia, Egito, Irã e Catar têm um custo inferior a US$ 0,05 por Kwh. O Brasil fica à frente da Argentina, China, Índia e México (US$ 0,08), Coréia do Sul (US$ 0,11), Estados Unidos (US$ 0,14) e da maioria dos países em desenvolvimento.

    Embora esses dados tracem um panorama importante do setor elétrico, não respondem de forma completa à pergunta: a energia elétrica é cara no Brasil? Afinal, a comparação de preços entre países é sempre um grande desafio, dada às diferenças de renda, matriz energética, câmbio e políticas econômicas de forma mais ampla.


    Trabalhos eólicos em demanda no Brasil

    Em 2020, o setor contava com cerca de 260.000 trabalhadores no Brasil, de acordo com uma pesquisa global da GWEC Market Intelligence. O país ficou atrás apenas da China que gerou 550.000 empregos no setor.

    O crescimento do setor pode ser fundamental não apenas para o meio ambiente, mas também para a recuperação econômica do país na pós-pandemia.

    A Agência Internacional de Energia Renovável (Irena) estima que as fontes renováveis criam até três vezes mais empregos do que os combustíveis fósseis, para cada milhão de dólares gastos..

    Atualmente, temos parceria com muitas empresas do setor com demanda para as seguintes funções.

    • Engenheiro de instalação
    • Gerente de projeto
    • Gerente de Contrato
    • Gerente de Comissionamento
    • Técnico de turbina

    Procurando seu próximo emprego em energia eólica? Se você se enquadrar em alguma dessas funções, por favor, entre em contato conosco.

    Envie seu CV


    4 projetos eólicos onshore com início em 2022

    Há 53 projetos eólicos onshore previstos para os próximos 5 anos com investimento total de $12bn. Rio Grande do Norte (5bn), Bahia (4bn), Piauí (2bn) e Paraíba (1bn) são os estados investindo mais em projetos de energia eólica onshore nos próximos 10 anos.

    1. Complexo Eólico Lagoa dos Ventos

    O Complexo Eólico Lagoa dos Ventos, no Piauí, é o maior parque eólico da América do Sul e o maior projeto eólico da Enel Green Power no mundo.

    O parque iniciou as operações comerciais das fases 1 e 2 em junho. A instalação de 716MW, com 230 turbinas eólicas, gera mais de 3,3 TWh de energia limpa por ano.

    A fase 3 está em construção. É um parque eólico de 396MW com até 72 turbinas com início de operação previsto para 2022.

    2. Complexo Eólico Chafariz

    Formado por 15 parques eólicos localizados no município de Santa Luzia, no sertão da Paraíba, o Complexo Eólico Chafariz terá capacidade instalada de 471MW de energia limpa e renovável.

    O projeto está em fase de construção e está previsto para entrar em operação em dezembro de 2022 com 136 aerogeradores.

    O Complexo Chafariz será uma expansão do Complexo Santa Luzia já em operação na região. Juntos, serão o maior complexo eólico da Neoenergia na América Latina. A Neoenergia é uma empresa do grupo Iberdrola.

    3. Complexo Alto Sertão III fase A


    O Complexo Eólico Alto Sertão III fase A consiste na construção de 26 parques eólicos com 438MW de capacidade instalada.

    Operado pela Renova Energia em Caetité, Igaporã, Pindaí, Licínio de Almeida e Ura, no estado da Bahia, o projeto contará com 155 turbinas e está previsto para começar em 2022.

    4. Complexo Eólico Anemus

    Localizado nas cidades de Currais Novos e São Vicente, no sertão do Rio Grande do Norte, o Complexo Anemus é o primeiro parque eólico da 2W Energia. O projeto conta com 3 parques eólicos e 33 aerogeradores que juntos terão a capacidade instalada de aproximadamente 139MW.

    A previsão para início de operação é a partir do primeiro semestre de 2022. Toda a energia gerada por Anemus será comercializada no Ambiente de Contratação Livre (ACL), promovendo a democratização do acesso à energia 100% renovável no Brasil.


    20 projetos eólicos offshore para conferir

    No Brasil, a energia eólica é uma fonte ainda inédita no mar. Mas, de acordo com o Ibama, há 20 projetos em fase de licenciamento que podem entrar em operação entre quatro e seis anos. Somados eles têm 42GW de potência.

    A geração de energia renovável está no radar de multinacionais como Equinor, Neoenergia, EDP e Engie. O potencial eólico offshore em lâmina d'água de até 50 metros é de 700 GW.

    Conheça os 20 projetos distribuidos em sete estados brasileiros.

    Ceará

    CEComplexo Eólico Offshore Jangada

    Esse é o maior projeto tanto em potência quanto em número de turbinas. Com capacidade de 3GW, o complexo eólico operado pela Neoenergia - uma empresa do grupo Iberdrola - contará com quatro seções de 750MW e até 200 turbinas.

    Parque Eólico Offshore Asa Branca

    Com capacidade de até 720MW, este projeto terá 60 aerogeradores de 12MW cada. Asa Branca é desenvolvida pela Eólica Brasil.

    Parque Eólico Offshore Caucaia

    Desenvolvimento de um parque eólico offshore com capacidade de 598MW. Um total de 48 turbinas com capacidade de 12MW cada está planejado para ser instalado 2-9 km de distância da costa.

    Além disso, 11 turbinas de 2MW serão instaladas em píeres de quebra-mar. O projeto está localizado a 14km dos portos do Pecém e Mucuripe

    Parque Eólico Offshore Camocim

    Desenvolvimento de um parque eólico offshore de 1,2GW de capacidade. Operado pela BI Energia, o parque está planejado para ter 100 turbinas de 12MW cada.

    Bahia

    BAParque Eólico Offshore Nova Energia

    O projeto Nova Energia, na Bahia, distante 200 metros da costa e operado pela Sowitec, é o menor em quantidade de turbinas e potência entre os 20 em licenciamento. Prevê uma turbina com capacidade de 3,4MW.

    Espírito Santo

    ES

    Parque Eólico Offshore Votu Winds

    O projeto Votu Winds prevê 1.440MW de potência, a partir da instalação de 144 torres com potência de 10MW cada.

    Piauí

    PiauíParque Eólico Offshore Vento Tupi

    Desenvolvimento de um parque eólico de 999MW de capacidade com 74 aerogeradores de 13,5MW cada. O projeto será operado pela Ocean Winds, uma joint venture 50-50 entre a EDP Renewables (EDPR) e a ENGIE.

    Parque eólico Palmas do Mar

    O projeto Palmas do Mar, da Bosford Participações, terá 93 turbinas gerando 1.395MW no total.

    Rio de Janeiro

    RJParque Eólico Offshore Ventos do Atlântico

    O projeto Ventos do Atlântico, operado pela Ocean Winds, é o segundo maior do país, com 371 aerogeradoes e pouco mais de 5GW de potência.

    Parque Eólico Offshore Maravilha

    Desenvolvimento de um complexo eólico de 3GW de capacidade. O projeto é formado de quatro seções de 750MW, cada uma apresentando 50 turbinas de 15MW.

    Operado pela Neoenergia, o projeto Maravilha está situado próximo à infraestrutura de produção de óleo e gás operada pela Petrobras. A Neoenergia é uma empresa do grupo Iberdrola.

    Complexo Eólico Offshore Aracatu

    Com um total de 3,8GW de capacidade e 320 turbinas, o complexo Aracatu será desenvolvido pela Equinor.

    Parque Eólico Ventos Offshore Fluminenses

    Operado pela Bosford Participações, o projeto prevê 188 turbinas.

    Rio Grande do Norte

    RNParque Eólico Offshore Ventos de Potiguar

    Desenvolvimento de um parque eólico offshore de 2,48GW localizado a 8,2 km da costa do Rio Grande do Norte. Operado pela Internacional Energias Renováveis, o projeto prevê a instalação de 207 turbinas com capacidade de 12MW cada.

    Parque Eólico Offshore Pedra Grande

    Operada pela BI Energia, esse parque eólico offshore terá 624MW de capacidade com 52 turbinas de 12MW cada..

    Parque Eólico Offshore Maral

    O projeto é o desenvolvimento de um Parque Eólico Offshore com 2.01GW de capacidade, que será operado pela Ocean Winds (uma joint venture 50-50 entre a EDP Renewables (EDPR) e a ENGIE). No total, estão previstas 149 turbines com 13.5MW cada.

    Parque Eólico Offshore Alísios Potiguares

    Alísios Potiguares da Bosford Participações compreenderá 123 geradores de 15MW each.

    Rio Grande do Sul

    RSParque Eólico Offshore Ventos do Sul

    Com 6,5GW de potência, o parque Ventos do Sul, da Ocean Winds (uma joint venture 50-50 entre a EDP Renewables (EDPR) e a ENGIE), pode ser o maior do estado e do país. O empreendimento terá 482 turbinas.

    Complexo Eólico Offshore Águas Claras

    Desenvolvimento de um complexo eólico offshore de 3GW operado pela Neoenergia, uma empresa do grupo Iberdrola. O projeto é composto de quatro seções de 750MW, cada uma com 50 turbinas de 15MW.

    Parque Eólico Offshore Tramandaí

    Desenvolvimento de um parque eólico offshore de 702MW localizado a 6km da costa do Rio Grande do Sul. Operado pela Ocean Winds — uma joint venture 50-50 entre a EDP Renewables (EDPR) e a ENGIE) — o projeto contará com 52 turbinas com capacidade de 13,5MW cada.

    Parque Eólico Offshore Ventos Litorâneos

    Esse parque eólico da Bosford Participações prevê capacidade instalada de 1,2GW.

    Back to top


    Como a Airswift pode ajudá-lo?

    A Airswift está empenhada em apoiar a transição energética. Temos mais de 300.000 candidatos brasileiros disponíveis para trabalhar no setor de energia eólica, e nossa equipe dedicada pode apoiar os clientes em todo o ciclo de vida do projeto eólico onshore e offshore.

    De nosso escritório no Brasil, estrategicamente posicionado para conectar talentos aos maiores projetos de energia, a Airswift contratou mais de 4.000 brasileiros nos últimos 15 anos.

    Se você está procurando talentos eólicos, por favor, entre em contato conosco.

    Contrate talentos de energia renovável hoje

    HEADER-about-diversityinclusion

    This post was written by: Nana Terra, Content Marketing Coordinator